sexta-feira, 3 de setembro de 2010

O acidente que levou o Rei da voz





Francisco Alves


"Num desastre de automóvel ocorrido às 18,30 horas, na rodovia Presidente Dutra, morreu, em trágicas circunstâncias, o popular cantor Francisco Alves, o "Rei da Voz". O acidente verificou-se na localidade denominada Uná, município de Pindamonhangaba.

Havia duas coisas que Francisco Alves, o Rei da Voz, gostava demais, além da música: corrida de cavalos e do time América do Rio de Janeiro. No dia em que morreu, ele vinha de São Paulo, onde na véspera realizara um grande show, no Largo da Concórdia e queria chegar mais cedo ao Rio, a tempo de ver o jogo do América. Mas seu Buick sedan, ano 50, teve um problema e não ficou pronto de manhã na oficina.



Haroldo Alves, que viajava com ele e foi cuspido do carro, na via Dutra, quando o Buick, dirigido em alta velocidade (130 km p/h) foi colhido bruscamente pela esquerda, por um caminhão "Austin", que vinha no mesmo sentido, por ter sido cortado inesperadamente por um carro preto, que saia de uma estrada da região, no Una, se incendiou deixando o corpo do cantor completamente carbonizado. O moço contou depois que o cantor estava com o rádio ligado ouvindo o jogo e torcendo muito pelo América. Naquela tarde de sábado, do dia 27 de setembro de 1952, o Brasil perdeu Francisco Alves, o "Rei da Voz", enquanto o América perdia o jogo para o Bangu. O prefeito da época era prof. Manoel César Ribeiro, quando soube da tragédia, cuidou pessoalmente do funeral, ficando a urna na Delegacia de Policia, aos cuidados do dr. Pantaleão, aguardando a chegada da caravana do Rio, liderada pelo locutor Aurélio de Andrade, da Rádio Nacional, para transportá-la. No trajeto até o Rio de Janeiro, em quase toda a sua extensão, pessoas esperavam à margem da via Dutra para dar o seu último adeus ao cantor. Na Cinelandia passaram mais de 500 mil pessoas para a despedida ao ídolo. A urna ficou, no salão da Câmara Municipal até segunda-feira e foi transportada ao Cemitério S. João Batista pelo Corpo de Bombeiros. Hoje a única lembrança de Francisco Alves, ás margem da via Dutra, no Una, é uma cruz, um violão, uma saudade!.

NOTA: O saudoso prof. Mário de Assis César, naquela ocasião fez doação de uma área de terra, á margem da via Dutra, no local do acidente, para que ali fosse colocado o busto de Francisco Alves, o "Rei da Voz", dum passado bem romântico.

-

Fotos reais da tragédia que abalou o Brasil na tarde do dia 27 de setembro de 1952



-





-

Simulação do acidente que matou o "Rei da Voz"



O "Mercury" de Abussanam entrou violentamente na pista aslfaltada, obrigando o caminhão "Austin" a invadir a pista de terra. Daí surgiu a colisão fatal.


-



A estrada da fazenda Marson, percorrida pelo carro "Mercury" dirigido por Felipe Abussanam


-



Lances finais do acidente. Procurando livrar a batida com o "Mercury", o caminhão "Austin" foi chocar-se contra o automóvel de Francisco Alves, atingindo-o bem no meio. O acidente verificou-se na pista de areia. Em consequência de um curto-circuito, ambos os carros incediaram-se.


-


FONTE do SITE AGORAVALE

0 comentários:

Postar um comentário